quinta-feira, 5 de maio de 2016

Tagliatelle salteado com camarão


Para terminar a semana trago uma massa, um tagliatelle salteado com camarão, muito simples de fazer e fica tão bom. Deixo a sugestão, espero que gostem!


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 20 m

Ingredientes

  • 250 g massa tagliatelle
  • 500 g camarão cozido
  • 1 dente de alho
  • azeite q.b.
  • sal q.b.
  • queijo mozzarella ralado q.b.
  • manjericão fresco q.b.




Confecção

1. Leve ao lume um tacho com água e sal. Deixe ferver. Após levantar fervura junte a massa. Mexa-a bem, para não se colar ( é uma massa que se cola muito) e deixe ferver novamente. Após levantar fervura, deixe cozer cerca de 12 minutos mexendo sempre com um garfo para a massa não colar.

2. Depois de cozida escorra a massa e passe-a por água fria. Leve ao lume um wok com azeite e o dente de alho ralado. Leve ao lume, deixe o alho estalar e junte o esparguete. Salteie-o por uns 3 minutos.

3. Junte o camarão descascado e cortado em pedaços e misture bem.

4. Sirva de seguida em pratos fundos com queijo mozzarella ralado e folhas de manjericão.

Bom apetite!

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Beringelas recheadas com frango e pimento


Hoje trago-vos uma receita de beringelas recheadas com frango e pimentos que gostei muito. A Parmalat lançou agora a sua gama de nata sem lactose e desafiou-nos a fazer uma receita. Eu optei por esta, sugestão da marca e adorei. Quanto à nata é uma boa opção para quem é intolerante à lactose e a nível de sabor não se nota qualquer diferença. Deixo a sugestão esperando que gostem!


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 40 m


Ingredientes

  • 2 beringelas
  • 2 peitos de frango
  • 1 cebola média
  • 1 dl azeite
  • 1 dl vinho branco
  • meio pimento vermelho
  • 1 embalagem de nata Parmalat 0% de lactose
  • sal e pimenta preta q.b.
  • orégãos secos q.b.
  • queijo parmesão ralado q.b.





Confecção

1. Corte as beringelas ao meio. Retire-lhes a polpa toda e corte-a em cubos. Pincele as beringelas com um pouco de azeite, coloque-as num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve-as ao forno por 15 minutos, a 200º C ( forno eléctrico e ventilado) enquanto prepara a restante receita.

2. Deite o azeite numa frigideira. Pique finamente a cebola e aloure-a no azeite até amolecer. Junte os cubos de beringela e cozinhe-os em lume brando por uns 3 minutos. Corte também o frango em cubos e junte à frigideira. Corte o pimento em pequenos cubos, junte também. Salteie tudo e depois refresque com o vinho branco.

3. Acrescente então a  nata e cozinhe por mais 3 minutos em lume brando. Tempere a gosto de sal e pimenta, prove e se necessário rectifique os temperos.

4. Retire as beringelas do forno. Recheie as beringelas com o preparado do frango. Salpique com orégãos e polvilhe com bastante queijo parmesão ralado no momento.

5. Leve novamente ao forno a gratinar por uns 20 minutos ou até estarem alouradas. Retire do forno, deixe arrefecer um pouco e sirva-as acompanhadas com salada.

Bom apetite!




Nota

Para esta receita usei a nata 0% lactose da Parmalat.



quarta-feira, 27 de abril de 2016

Crepes com doce de morango e hortelã e gelado de iogurte


 Que tal uma doce sobremesa para hoje?Trago-vos uns crepes com doce de morango e hortelã e gelado de iogurte. Espero que gostem.


Receita para 5 crepes
Grau de dificuldade - médio
Tempo de confecção - 20 m

Ingredientes

  • 35 gr farinha trigo
  • 1 ovo
  • 100 ml leite
  • 10 gr manteiga
  • 1 colher chá de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • doce de morango e hortelã*
  • 2 iogurtes gregos açucarados





Confecção

1. Cerca de 4 horas antes prepare o gelado de iogurte. Deite os iogurtes para uma taça com tampa que possa ir ao congelador. Mexa bem. Leve ao congelador, mexa passado 2 horas e volte a colocar no congelador até obter um gelado.

2. Os crepes. Misture todos os ingredientes até obter uma massa lisa e uniforme.Coloque uma frigideira anti-aderente em lume médio e unte-a com um pouco de manteiga.Repita esta operação entre cada crepe.Deite na frigideira uma porção de massa até cobrir o fundo (uso uma concha da sopa).Deixe dourar dos 2 lados e retire os crepes repetindo a operação até esgotar a massa.

3. Sobre cada crepe coloque um pouco de doce e enrole-o. Coloque os crepes num prato pequeno, sirva com o gelado de iogurte, doce de morango com hortelã e folhas de hortelã.


Nota: Para esta receita usei a nova gama de doces da Quinta dos Jugais, este de morango com hortelã, uma delicia! 


terça-feira, 26 de abril de 2016

Arroz de açafrão com mexilhão e ervilhas



Bom início de semana depois de um fim- de -semana prolongado. Hoje trago uma sugestão rápida, fácil e económica, mas que fica muito boa: Um arroz de açafrão com mexilhão e ervilhas. Espero que gostem!


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade- fácil
Tempo de confecção - 25 m

Ingredientes

  • 150 g arroz vaporizado
  • 300 g miolo de mexilhão
  • 1 c. chá de açafrão das Índias Margão
  • meia cebola
  • azeite q.b.
  • 3 c. sopa de ervilhas congeladas
  • 4 hastes de salsa fresca
  • sal e pimenta q.b.





Confecção

1.  Pique muito finamente a cebola. Cubra o fundo de um tacho com azeite e leve ao lume. Quando estiver bem quente junte a cebola, baixe o lume e deixe a cebola amolecer.

2. De seguida junte o arroz, aumente um pouco o lume e frite o arroz por uns 2 minutos. De seguida junte água quente ( cerca de 350 ml de água)e as ervilhas, tempere a gosto de sal e pimenta, junte o açafrão e mexa. Deixe ferver. Após levantar fervura, reduza o lume para médio e deixe o arroz cozinhar por uns 12 minutos, com o tacho semi tapado.

3. Passado este tempo junte o miolo de mexilhão ( ligeiramente descongelado), misture bem, tape novamente o tacho e deixe cozer por mais uns 4 minutos. De seguida desligue o lume, mantenha o tacho tapado mais uns 3 minutos. Abra o tacho, prove o arroz, verifique se está cozido a gosto e se necessário rectifique os temperos. Polvilhe com salsa fresca finamente picada e sirva.


Bom apetite!





sábado, 23 de abril de 2016

Saúde à mesa: Batata Doce


Hoje trago mais um Saúde à mesa para vos falar da maravilhosa batata doce.

Para começar sabia que a batata doce nem sequer pertence à variedade das batatas normais? Não pertencem à mesma espécie sequer! Calcula-se que existam cerca de 4000 variedades diferentes de batata doce, cujas variedades podem variar entre o roxo, o vermelho, o laranja, o branco e o amarelo!



Batatas doces às rodelas no forno com lima



Um pouco de História...

Pensa-se que a batata doce possa ser originária da América Central, sendo, talvez, o legume mais antigo conhecido pelos humanos. Foram encontrados em cavernas peruanas vestígios de batatas doces com mais de 10 mil anos!!!

A batata doce acabou por ser introduzida na Europa, uma vez mais, pelos exploradores europeus. Os portugueses levaram-na para África, Índia, Indonésia  e sul da  Ásia e claro, também aqui se plantaram.  Começou por ser cultivada e consumida ainda antes da batata normal.  Em Portugal, o seu cultivo foi bem sucedido no Algarve , nos Açores e na Madeira.



Abóbora e batata doce assadas no forno



PORQUE RAZÃO DEVO COMER BATATA DOCE? 

A batata doce é uma excelente fonte de vitamina A e de betacaroteno, bem como, Vitamina C, B6, manganésio, potássio e fibra.

Assim podemos dizer que a batata doce é boa para:

- Longevidade - Uma das principais fontes de nutrição dos habitantes de Okinawa (o povo com maior esperança média de vida) é a batata doce. Uma versão de pele branca e polpa roxa, que os cientistas dizem poder ser um dos factores que contribuem para uma maior longevidade;

- Diabetes - Sim, a batata doce é boa para os diabéticos. Estudos demonstraram que o consumo regular de batata doce por diabéticos ajuda na gestão da glucose, reduzindo a resistência à insulina.

- Aumento de memória - A batata doce de polpa roxa está associada ao melhor funcionamento cognitivo devido às antocianinas que possui;

- Cancro- Estudos celulares demonstraram que a batata doce possui propriedades anti-cancerígenas únicas;


Dicas na utilização da batata doce

Escolha batatas firmes e conserve-as em local fresco, escuro, mas ventilado. Não as guarde no frigorífico. 

Para impedir que escureçam, cozinhe-as imediatamente após as cortar ou descascar.

Sirva-as em puré, assadas aos cubos, pedaços ou inteiras, ou em doces e sobremesas.




Receitas com batata doce  AQUI

Fonte da informação
101 alimentos que podem salvar a sua vida de David Grotto


sexta-feira, 22 de abril de 2016

Bifes de peru grelhados na chapa com queijo e fiambre



Hoje a sugestão que trago é para aqueles dias em que chegamos a casa tarde e sabe,os que vamos ter pouco tempo para cozinhar. Assim, com uns bifes de peru descongelados faz-se uma refeição. Espero que gostem!


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 20 m

Ingredientes

  • 4 bifes de peru
  • 4 fatias de queijo flamengo
  • 4 fatias de fiambre de peru
  • 1 fio de azeite
  • sumo e raspa de 1 limão
  • 2 dentes de alho
  • sal q.b.




Confecção

1. Tempere os bifes com sal, raspa e sumo de limão e os alhos ralados. Misture bem com a carne e deixe repousar uns 5 minutos. Leve ao lume a chapa de grelhar no fogão, untada com um leve fio de azeite e deixe-a aquecer muito bem.

2. Quando estiver bem quente coloque os bifes de peru a grelhar até estarem alourados. Vire-os. Por cima de cada bife ( enquanto cozinha do outro lado) coloque uma fatia de fiambre de peru e outra de queijo. tape com uma tampa larga e deixe a carne acabar de grelhar e o queijo derreter.

3. Retire então os bifes de peru grelhados e sirva-os acompanhados com ervilhas cozidas e ovo mexido.

Bom apetite!


quinta-feira, 21 de abril de 2016

Empadão de bacalhau com espinafres


Bom dia para todos! Hoje trago uma sugestão que gostei muito: empadão de bacalhau com espinafres. Eu uso puré congelado , mas se tiverem tempo, claro que podem fazer com puré caseiro, mas no quotidiano, o puré congelado ( gosto muito da McCain) é uma mais- valia para este tipo de refeição. Deixo a sugestão esperando que gostem.


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 40 m

Ingredientes

  • 2 postas de bacalhau
  • 1 dente de alho 
  • 1 cebola grande
  • azeite q.b.
  • 400 g de espinafres frescos
  • 400 g puré congelado
  • leite q.b.
  • sal q.b.
  • 2 gemas de ovo
  • azeitonas pretas descaroçadas




Confecção

1. Leve ao lume um tacho com água e um dente de alho. Quando começar a ferver introduza as postas de bacalhau. tape o tacho, desligue o lume e deixe-as estar assim até estarem cozidas ( cerca de 7 minutos). Passado este tempo escorra-as e deixe arrefecer.

2. Cubra o fundo de um tacho com bastante azeite. Corte a cebola em rodelas muito finas e pique o dente de alho. Leve ao lume e quando começar a ferver, reduza o lume e deixe a cebola cozinhar até amolecer. De seguida junte os espinafres, lavados e escorridos ( apenas as folhas) e deixe-as amolecer.

3. Desfaça o bacalhau em lascas eliminando peles e espinhas e junte-o à cebolada e aos espinafres. Sempre com o lume no mínimo, deixe apurar lentamente por mais uns 5 minutos. Desligue o lume, prove e se necessário junte uma pitada de sal. 

4. Faça o puré de batata conforme as instruções da embalagem. No final tempere a gosto de sal 

5. Em taças individuais ou numa só taça de forno coloque a mistura do bacalhau, com a cebola e os espinafres. Cubra com o puré de batata. Bata as 2 gemas de ovo e espalhe por cima do puré de batata, alisando. Corte as azeitonas em rodelas e espalhe-as por cima.

6. Leve o empadão ao forno ( grill) apenas a alourar e sirva de seguida acompanhado com salada.


Bom apetite!




quarta-feira, 20 de abril de 2016

Lasanha de frango e cogumelos



Para hoje trago-vos uma lasanha de frango e cogumelos, porque há dias em que apetece comer uma massa gratinada, esta é uma opção que podemos fazer de lasanha, sem ser com carne de vaca picada e fica uma delícia. Deixo a sugestão esperando que gostem!


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 1 hora

Ingredientes


  • 2 peitos de frango cozidos e desfiados*
  • 1 embalagem de massa fresca para lasanha
  • meia cebola picada
  • azeite q.b.
  • 1 dente de alho
  • 1 lata de tomate aos pedaços
  • 100 g de cogumelos laminados
  • sal e pimenta rosa moída na altura q.b.
  • tomilho fresco q.b.
  • 200 g queijo mozzarella ralado
Molho branco

  • 250 ml de leite magro
  • 1 colher de sopa bem cheia de farinha
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • sal q.b.
  • noz moscada q.b.

Confecção

1. Comece por fazer o molho branco. Numa tigela misture bem o leite com a farinha. Coloque num tacho, junte a manteiga e leve ao lume brando, mexendo até começar a engrossar. Tempere então a gosto de sal e noz moscada e deixe engrossar a gosto. Retire do lume e reserve.

2. Cubra o fundo de uma frigideira anti-aderente com azeite e junte a cebola finamente picada, bem como o alho. Quando a cebola começar a estalar, baixe o lume e cozinhe em lume brando por 3 minutos até amolecer. Junte então os cogumelos, aumente o lume e salteie os cogumelos até amolecerem. 

3. Junte então aos cogumelos , o tomate aos pedaços, junte um pouco de água e deixe ferver. Após levantar fervura tempere a gosto de sal, pimenta rosa, e baixe o lume, deixando o molho apurar uns 5 minutos em lume brando.

4. De seguida junte então o frango desfiado e envolva bem. Junte uma pitada de folhas de tomilho frescas, deixe apurar mais uns 3 minutos, prove e rectifique os temperos se necessário e desligue o lume.

5. Numa travessa de forno adequada coloque uma leve camada de molho branco. Por cima coloque a folha de massa de lasanha, um pouco do recheio do frango e cogumelos, outra de massa, outra de frango e cogumelos, até terminar o recheio.

6. Finalize a lasanha com uma folha de massa. Regue com o molho branco e polvilhe com o queijo ralado ( pode usar a versão light). Leve ao forno pré-aquecido 5 minutos antes ( eléctrico e ventilado)  a 180º C durante cerca de 20 minutos ou até a massa estar cozida e o queijo gratinado. 

7. Retire do forno e sirva de seguida com uma boa salada a acompanhar,


Bom apetite!

* Tanto pode usar peito de frango como bifes de frango


terça-feira, 19 de abril de 2016

Saúde à mesa: Batata

Imagem retirada da internet


Fritas são a nossa perdição. Mas sabia que em 1853 o magnata dos caminhos de ferro Vanderbilt ficou instisfeito com o cheg de cozinha que lhe serviu umas batatas fritas cortadas grossas de mais? O chef George Crum, para brincar com o magnata cortou-as depois tão finas, que pareciam folhas de papel. O magnata adorou! Estas foram as precursoras das famosas batatas fritas às rodelas que hoje em dia tanto apreciamos. 

Um pouco de História...

Sabia que existem mais de 500 variedades de batata? No entanto, no mercado encontramos apenas cerca de 5 variedades das batatas existentes no mundo. 

Os Índios Incas do Peru foram os primeiros a cultivar batatas por volta do ano 200 a. C. No séc. XVI foram trazidas para a Europa pelos exploradores europeus. No entanto, no início a batata não era consumida como alimento, havia desconfiança dos europeus face a este ingrediente. Inicialmente era dados aos animais, só muito mais tarde entrou e definitivamente na alimentação humana.

No séc.  XVIII a batata tinha de tal forma importância na alimentação humana que , por exemplo na Irlanda, em 1856, um fungo destruiu todas as plantações de batata do país, devastando não só a economia, como provocando uma grande crise alimentar que até hoje é conhecida como  " A Grande escassez de batatas da Irlanda".


Salada de batata, feijão verde, tomate e mexilhão



PORQUE  RAZÃO DEVO COMER BATATAS? 

Uma batata de tamanho médio contem quase metade da dose diária de vitamina C e se comida com a pele contêm 21% do valor diário recomendado de potássio, sabia?

Comparativamente , a batata tem quase tanta vitamina C como o tomate e o dobro do potássio de uma banana. 

A crença comum é de que todos os nutrientes estão concentrados na casca, mas isto não é verdade. Mais de 50% do conteúdo total de nutrientes da batata está na própria batata! Mas não se contente com pouco, coma tudo, batata e casca!




Desde sempre a batata foi usada com fins medicinais. quem não se lembra das nossa avós colocarem rodelas de batata na testa quando estavam com dores de cabeça? Os Incas uusavam-nas em ossos partidos para promover a cura. Eram ainda usadas para prevenir o reumatismo e comidas com outros alimentos para evitar a indigestão.

Assim, podemos dizer que as batatas são boas para;

- Evitar o cancro- as batatas ( contêm lectina) são óptimas para ajudar a combater as células cancerígenas, inibindo assim o crescimento de tumores;

- Saúde cardiovascular- Um estudo a longo prazo realizado com quase 85 mil pessoas concluiu que o consumo regular de batata pode contribuir para a saúde do coração;

- Diabetes - A pele da batata já provou ajudar a glucose no sangue;

- Hipertensão e AVC- Todos os alimentos, tal como a batata, ricos em potássio e pobres em sódio podem reduzir o risco de tensão arterial elevada e AVC's.




Salada de batata com mistura de alfaces, rúcula e tomate




Fonte da informação:

101 alimentos que podem salvar a sua vida de David Grotto

Limonada de gengibre


Refrescante, saudável e deliciosa para beber bem fresca, esta limonada de gengibre não só é saborosa como é óptima para a saúde pois combina dois ingredientes óptimos: limão e gengibre. Receita retirada da Magazine do Continente.


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 30 minutos ( inclui tempo no frigorífico)

Ingredientes

  •  1 lt de água a ferver
  • 2 limões médios
  • 1 rodela de gengibre
  • 2 ou 3 c. sopa de mel





Confecção

1. Corte e esprema os limões para dentro de um jarro. Corte os limões em rodelas, depois de espremidos e junte-os também ao jarro.

2. De seguida junte a rodela de gengibre e por fim a água a ferver. Junte o mel e misture bem. Tape e deixe arrefecer. Quando estiver frio leve ao frigorífico. Coe a limonada antes de a servir, prove a ver se precisa de mais mel e sirva fresca ou se desejar com algumas pedras de gelo.



segunda-feira, 18 de abril de 2016

Saúde à mesa: Ananás

Imagem retirada da internet


Sabia que apesar do ananás enlatado ser vendido desde 1901 só se tornou amplamente disponível para consumo quando em 1911 o engenheiro Henry Ginaca inventou uma máquina que era capaz de remover a casca e o centro?

O ananás

Os ananases demoram 18 meses a crescer e devem crescer a partir das coroas ou topos de outros ananases e só são colhidos quando estão maduros. 

O ananás é oriundo do Sul do Brasil e Paraguai e o termo " pineapple" veio dos exploradores europeus que o julgavam um cruzamento entre uma pinha e uma maçã. Foram introduzidos na Europa no final do séc. XV e nas ilhas dos Açores  deram-se muito bem, sendo conhecidos até hoje pela sua qualidade e doçura.  

Nos Açores estão presentes desde os séculos XVII e XVIII na ilha de  São Miguel . As ilhas portuguesas do Atlântico foram um palco da introdução e expansão de novas culturas. Assim, os portugueses descobriram o ananás no Brasil e trouxeram-no para os Açores. Objecto de natural curiosidade da época, o ananás foi cultivado em estufas como cultura experimental e curiosidade botânica ornamental.

A partir do século XIX o ananás passa a ser encarado enquanto produto com potencial para a economia açoriana. A necessidade de encontrar um substituto para a laranja, proveniente de pomares de citrinos já afectados pela doença da gomose, foi a causa da procura de um novo produto que preenchesse a lacuna deixada por esse fruto no circuito comercial de exportação.





PORQUE RAZÃO DEVO COMER ANANÁS? 

O ananás é rico em bromoleína, uma enzima digestiva das proteínas que possui propriedades muito benéficas para o nosso organismo:

- Interferem no crescimento de células cancerígenas;
- Inibem a agregação das palaquetas;
- Tem uma actividade fibrinolítica;
- Tem uma conhecida e comprovada acção anti-inflamatória


Há ainda médicos que defendem que a bromoleína presente no ananás :

- Reduz o inchaço pós-operatório;
-Ajuda a aliviar os sintomas da sinusite;
- Ajuda a aliviar os sintomas da artrite reumatóide;

Ananás grelhado



Dicas e sugestões na utilização do ananás

- Escolha um ananás que seja pesado, sem partes amassadas;
- Se não pode comprar ananás fresco, opte pelo enlatado;
- Pode usar o suco do ananás para fazer marinadas , devido às suas qualidades digestivas, este torna a carne mais tenra;
- Junte-o a saladas de fruta, bolos, pratos de carne ou coma-o grelhado. 


Pode ver aqui algumas receitas com ananás do meu blogue: RECEITAS COM ANANÁS 





Fonte da informação

101 Alimentos que podem salvar a sua vida de David Grotto 







sexta-feira, 15 de abril de 2016

Couscous de açafrão com ervilhas, tomate, pimento e carne picada



Para hoje mais uma sugestão simples e rápida. Cá por casa aprendemos a gostar de couscous e muitas têm sido as receitas com este ingrediente que até há pouco tempo desconhecia. Hoje deixo-vos uma receita de couscous de açafrão com ervilhas e carne picada. Espero que gostem.

Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 25 m

Ingredientes

  • 120 g couscous
  • 2,5 dl de caldo de carne a ferver
  • 400 g de carne de vaca picada
  • 1 tomate maduro mas firme
  • um quarto de pimento encarnado
  • ervilhas cozidas q.b.
  • 1 c. chá de açafrão das índias
  • sumo de limão q.b.
  • azeite virgem extra q.b.
  • sal q.b.
  • 6 folhas de hortelã fresca
  • uma pitada de orégãos secos




Confecção

1.  Leve ao lume uma frigideira com um pouco de azeite. Quando estiver quente junte a carne picada, tempere-a de sal e cozinhe-a.

2. Prepare o couscous. Coloque o couscous numa taça. Junte o açafrão, uma pitada de sal, um fio de azeite e por fim regue com o caldo a ferver. Tape de imediato com película aderente e deixe repousar 10 minutos.

3. Prepare entretanto os outros ingredientes. Lave e corte o tomate em pequenos cubos, bem como o pimento. Pique muito finamente as folhas de hortelã.

4. Passado os 10 minutos destape o couscous. Junte a carne picada, as ervilhas, o tomate e o pimento aos cubos, bem como a hortelã e os orégãos. Regue com umas gotas de limão e mexa bem com um garfo, de forma a soltar os grãos, misturando_os com os restantes ingredientes.

5. Prove e se necessário rectifique os temperos, pode juntar mais uma pitada de sal, mais sumo de limão, mais hortelã, enfim, prove e faça ao seu gosto.


Sirva de seguida e bom apetite!!






quinta-feira, 14 de abril de 2016

Penne com fiambre e cogumelos em molho de natas



Adoro massas. Um bom prato de massa, simples ou mais elaborado é uma das refeições que mais gostamos cá por casa. Neste dia fiz uma massa penne com fiambre e cogumelos em molho de natas. Simples, muito simples, logo , ideal para o dia-a-dia. Servidos?


Receita para 3 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 20 m


Ingredientes

  • 300 g massa penne 
  • 200 g fiambre aos cubos
  • 1 lata de cogumelos laminados
  • 200 ml natas
  • 1 c. sopa de manteiga 
  • 1 fio de azeite
  • sal q.b.
  • açafrão das índias q.b.
  • orégãos secos q.b.
  • 1 cebola pequena


Confecção

1. Leve ao lume um tacho com água, sal a gosto e uma pitada de açafrão das índias. Quando a água começar a ferver introduza a massa. Deixe levantar novamente fervura e coza-a por uns 10 minutos. Depois de cozida, escorra-a , passe-a por água fria e reserve. Reserve também cerca de uma concha do caldo de cozer a massa. 

2. Enquanto a massa coze trate do resto da receita. Pique finamente a cebola. Numa frigideira coloque a manteiga e fio de azeite. Leve ao lume e deixe derreter. De seguida junte a cebola finamente picada e aloure-a em lume brando até amolecer.

3. De seguida junte os cogumelos escorridos e aloure-os também e por fim os cubos de fiambre. Junte as natas, aos poucos, aumente um pouco o lume e por fim junte um pouco do caldo de cozer a massa. Deixe ferver. Após levantar fervura, mexa bem e junte o molho à massa envolvendo bem.

4. Sirva então a massa com queijo parmesão ralado e uma boa pitada de orégãos, num prato previamente aquecido.


Bom apetite!


quinta-feira, 31 de março de 2016

Arroz de açafrão e cajus- Gourmet 4000



Muitas pessoas têm-me perguntado como fazer arroz na Gourmet 4000. Pois, também eu tive dificuldade em acertar com a receita, mas agora que descobri tenho feito sempre o arroz na Gourmet 4000 que fica solto e faz-se num instante. O truque? Mudei o tipo de arroz, passei a fazer só com arroz vaporizado e mudei o programa, deixei de usar o  programa para arroz e passei a usar o menu guiso.



Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade- fácil
Tempo de confecção - 15 m


Ingredientes

  • 120 g arroz vaporizado
  • 1 c. chá rasa de açafrão das índias 
  • 2 c. sopa de cajus
  • sal q.b.
  • 1 c. chá de manteiga





Confecção

1. Coloque na cuba da máquina o arroz. Junte o açafrão, o sal, os cajus a manteiga e por fim coloque 2 vezes e meia a quantidade de água, usando a mesma medida que usou para o arroz. Mexa bem.

2. Feche a Gourmet 4000. Clique em menu, depois escolha o programa guiso, não mexa na temperatura e coloque para cozer 10 minutos. De seguida carregue no botão cozinhar.

3. Quando a máquina desligar deixe estar o arroz na máquina com a tampa fechada por mais uns 5 minutos. Abra depois a tampa e mexa o arroz. Sirva de seguida.

Bom apetite!